As Dez melhores cidades para viver em Portugal

30/07/2017

Avaliando áreas como a saúde, educação, emprego, áreas verdes e cultura, estas são as 10 melhores cidades para viver em Portugal.

Quais os fatores a ter em conta quando se elege as melhores cidades para viver em Portugal? A opinião poderá variar segundo o estilo de vida de cada pessoa e as necessidades que esta considera como essenciais, mas elaboramos esta lista com base em 5 critérios fundamentais: acesso ao emprego, saúde, educação, cultura e espaços de lazer.

1. Coimbra

É uma cidade onde tem tudo e está perto de tudo. Tem alguns dos melhores hospitais do país, uma universidade secular, monumentos para visitar e cultura para desfrutar. Tem a vantagem de ser uma cidade de média dimensão o que faz com que a confusão do trânsito seja residual, por exemplo.

2. Braga

Jovem, dinâmica, ensino superior de qualidade. Cidade repleta de cultura e monumentos. Tal como outras cidades de média dimensão, tem a vantagem de ser mais barata em termos de habitação.

3. Lisboa

Não é preciso dizer muito sobre Lisboa. Educação, saúde e cultura são o seu forte. O preço elevado das moradias é o ponto mais fraco. A cidade tem espaços verdes mas provavelmente seria sempre possível construir mais e notícias recentes indicam que isso irá mesmo acontecer.

4. Porto

Cidade cada vez mais dinâmica e na moda. Sucedem-¬se os êxitos ao nível da promoção turística fazendo com que o emprego nesta área esteja em alta. Um dos seus pontos mais fracos é alguma degradação da habitação (que tem vindo a ser corrigida) e alguma criminalidade.

5. Guimarães

Repleta de cultura e com uma vida intensa. Guimarães começa a afirmar-¬se cada vez mais como uma cidade crucial no país. A sua região envolvente é uma das mais dinâmicas ao nível empresarial e responsável por grande parte das exportações nacionais. Tem ensino superior mas será este um dos seus principais pontos fracos já que a oferta de cursos é limitada.

6. Aveiro

Dentro das cidades médias é uma pequena contradição. Tem história, cultura e monumentos. O aceso à saúde é razoável e o ensino superior é de excelência. A contradição verifica-¬se no ambiente: está perto de algumas regiões naturais importantes mas também de alguns centros industriais com fábricas especialmente poluentes.

7. Oeiras

Conseguiu transformar-¬se de mero centro dormitório de Lisboa para uma cidade dinâmica. O emprego é o seu ponto forte, especialmente em áreas altamente especializadas. Os pontos fracos são a falta de planejamento urbano e o preço das moradias.

8. Funchal

Situada na pérola do Atlântico, ilha da Madeira, o Funchal tem espaços verdes, acesso à educação e à saúde e cultura. O seu ponto fraco será alguma falta de emprego em determinadas áreas, nomeadamente relacionadas com a indústria ou serviços especializados.

9. Viseu

É a principal cidade do interior do país. Conseguiu lutar contra essa interioridade e desenvolver¬-se. O seu principal ponto fraco será a falta de emprego em certos setores de atividade, principalmente nos mais qualificados.

10. Vila Real

A presença desta cidade transmontana poderá surpreender quem não a conhece. Vila Real conseguiu capitalizar o fato de ser a porta de entrada para Trás-¬os¬-Montes e a sua proximidade ao Douro. Tem espaços verdes, educação e acesso à saúde. O acesso ao emprego é razoável.

Texto publicado originalmente na Vortex Magazine

Publicado originalmente em: Embarque na Viagem -  http://bit.ly/2uLBDfX   

Sugestão: Cristina Danuta de Souza - http://bit.ly/2uPqSrt