Alimentação sem glúten e sem lactose para trilhas

21/11/2016

Você ama fazer trilhas, estar em contato com a natureza, subir montanhas, escalar, passar dias "no meio do mato" e se preocupa com a sua alimentação? O que eu vou levar? Alguns podem me responder "Ah isso é tranquilo! Eu só preciso comer umas frutas que está tudo certo!" ou então "Eu compro tudo embalado no mercado e pronto!". Se a sua resposta for parecida com qualquer uma dessas duas, é bom saber que essa alimentação não está completa não é? Nem só de frutas ou só de industrializados vive o ser humano!  

A alimentação é muito importante para quem deseja praticar alguma atividade física. É tão importante quanto a ingestão de água durante a trilha, mas isso você já deve ter ouvido! Leve sempre uns 2 litros d' água (para não correr o risco de desidratação). O alimento também contribui para a reposição de água no copo. 

Sabemos da importância de comer carboidratos, gorduras boas e demais nutrientes para não sentir fraqueza no decorrer da trilha. Claro, não é pra exagerar e levar somente batatinhas chips, doces e bebidas açucaradas! Nada disso. Quem gosta de atividade ao ar livre também deve gostar de cuidar do próprio corpo. Cuide bem do seu!  

Sem glúten e sem lactose

Mas espera aí, o texto é sobre alimentação sem glúten e sem lactose. Pois é, esse é um tema importante que cada vez ouvimos falar mais. Não é a dieta da moda, na verdade o que vem ocorrendo, é o aumento do número de pessoas com algum nível de intolerância, sensibilidade ou alergia a determinados alimentos. O porquê desse aumento, que não é o foco do nosso artigo aqui, seria melhor explicado por um especialista da área. No entanto, a mudança dos hábitos alimentares no decorrer de décadas tem muito a ver com isso.

O ser humano sempre sobreviveu (e viveu com mais saúde do que hoje em dia) comendo alimentos naturais, produtos de caça ou plantações próprias. E não precisa ser na época dos homens das cavernas. A minha avó cozinhava com o que ela tinha no quintal! Da banha de porco e do óleo de coco que ela mesma fazia, até as verduras e carnes que tinha no quintal. E olha... ela viveu bastante! Ainda bem!  

Hoje em dia, temos uma chuva de produtos industrializados cheios de conservantes, açúcares, farinhas refinadas, e etc. Não é mais a mesma coisa concorda? Além disso, a própria produção de alimentos mudou, com a modificação em laboratório, os produtos transgênicos e demais modernizações.

Pessoas que não podem consumir o glúten (uma proteína presente naturalmente em cereais como o trigo, a cevada, o centeio), seja por apresentarem uma sensibilidade a ele ou até mesmo a doença celíaca (caso mais grave, não pode haver qualquer contato com o glúten), precisam escolher bem os alimentos que levarão para uma trilha ou um trekking.

A mesma atenção é essencial para os intolerantes a lactose (o açúcar do leite, que nesse caso não é digerido pelo organismo) ou alérgicos ao leite. Se você olhar os rótulos de produtos no mercado, vai ver quantos deles têm leite e você nem imaginava.

Há pessoas no entanto, que retiram o glúten e os produtos lácteos da alimentação sem ter intolerância aquele produto, fazem isso para ter uma melhor qualidade de vida. Viver sem glúten e sem produtos vindos do leite pode trazer uma série de benefícios. Mas é claro que é bom você consultar um nutricionista pra te orientar melhor.

Mas e aí, o que eu levo pra trilha?  

Esse ano eu me peguei pensando nisso. Fui comemorar meu aniversário na trilha da Pedra do Sino, no Parque Nacional da Serra dos Órgãos em Teresópolis, com a Vias e Aventuras. Eu descobri esse ano que sou intolerante ao glúten e a lactose (sim, os dois!). Bom, não é por isso que vamos deixar de ir pra montanha não é?

Não passei sufoco!

Levei duas caixinhas de leite vegetal (dessas prontas pra tomar na hora com canudo), que hoje em dia tem de soja, de arroz com sabores, e outros, e não precisa ficar na geladeira. Fiz na véspera um sanduiche com pão sem glúten com frango e cenoura. Claro que nesse caso só pode ser consumido na manhã seguinte mesmo, não dá pra ficar caminhando com determinados alimentos que necessitam de refrigeração.

Para os intervalos e as pausas durante a caminhada, temos as opções de levar barrinhas de cereal (existem algumas sem glúten), nozes (essa é uma super dica pois são ricas em gorduras boas, e ainda tem proteína e fibras, saciam bastante a fome), castanhas (do Pará, de Caju), banana passa (essa salva mesmo!), e qualquer outra fruta desidratada de sua preferência (damasco, uva passa, cramberry, etc).

Para o almoço levei um pacote de macarrão de milho. Leve seu fogareiro, uma panelinha básica e está com almoço garantido. Para acompanhar, sardinhas ou atum enlatados. Não esqueça de levar uns temperinhos e o molho de tomate também (embalado para não vazar na mochila!). Pra uma trilha dessas, onde você dorme no local e volta no dia seguinte, vale levar ainda um café solúvel pra acordar bem disposto.

Mas o #top da alimentação nesse dia foi o "Bolinho de Frango com Batata Doce" que fizemos também na véspera! Esse foi o combustível número 1 da galera na subida. É muito simples, se liga na receita:

Bolinho de frango com batata doce:

Ingredientes:

400g de frango desfiado

400g ou menos de batata doce amassada

Sal e temperos a gosto

Modo de preparo: refogue o frango como de costume, pode temperar um pouco já (alho, azeite, sal). Cozinhe as batatas e amasse para formar um tipo de purê. Junte ao frango, que deve estar bem sequinho, temperos como orégano, curry, ervas finas e prove o sal a seu gosto e misture bem. Faça bolinhas com as mãos e coloque numa assadeira untada com bem pouquinho de azeite apenas. Deixe um espaço entre os bolinhos. Asse em temperatura média por 30 a 40 minutos (fique de olho no seu forno).

Fácil né!? Fazemos essa receita sempre em casa e fica uma delícia!

Você pode também procurar receitas de muffins proteicos, bolos de aveia sem glúten, e muitas outras ideias pra você mesmo fazer em casa e levar pra trilha. É só ter a mesma disposição que você tem pra subir a montanha, pra botar a mão na massa!

Dicas:

  • Leite vegetal em caixinhas
  • Saunduíches com pão sem glúten
  • Frutas
  • Frutas desidratadas
  • Castanhas, nozes, sementes de abóbora e de girassol
  • Café solúvel
  • Barras de cereal sem glúten
  • Barras de chocolate amargo sem leite e sem glúten
  • Biscoitos ou cookies caseiros
  • Bolinhos caseiros salgados ou doces
  • Sardinha ou atum em latas
  • Massas sem glúten
  • Brownies caseiros sem leite e sem glúten (já embalados numa "marmita" descartável)
  • Saquinhos de chás ou sucos
  • E o que mais a sua criatividade mandar!

Essas foram apenas algumas dicas que você pode usar quando for fazer a sua trilha. Espero que tenha gostado e que tenha te dado novas ideias pro seu cardápio. Invente! Se tiver mais ideias coloca aqui nos comentários que a Vias e Aventuras vai adorar sua colaboração.

Sempre com consciência ambiental e ecológica, cuidando da nossa saúde e da nossa mãe Terra!

Gratidão.

*Leve seus utensílios como canecas, talheres, panela e pratos. Não precisa ser descartável não! Tem uns mais leves para camping. Vamos reduzir o lixo!

*Não se esqueça de trazer todas as embalagens de volta! Na natureza não tem lata de lixo. "Aaah mas a casca da fruta pode!" Não pode! Tem que trazer de volta. Aquele solo e aquela flora e fauna estão lá preservados, e é assim que você deve deixá-los.

*As latinhas de sardinha e atum, por exemplo, são usadas para fazer artesanatos, e podem ser recicladas. Pesquise!

Ana Carolina R. Araujo

Encontre a sua aventura aqui!